Internet representa metade do faturamento para os MEI

Segundo a 11ª edição da pesquisa “O Impacto da pandemia do coronavírus nos Pequenos Negócios”, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), um terço dos microempreendedores individuais (MEI) já tira mais da metade do faturamento com vendas pela internet. Entre os donos de micro e pequenas empresas esse percentual cai para 22%.

Ainda de acordo com esse levantamento, mais da metade dos microempreendedores individuais do Turismo alegaram ter mais de 50% das vendas oriundas da internet, seguidos pelos da Economia Criativa (46%), Indústria Alimentícia (45%) e Artesanato (43%).

O Whatsapp é a ferramenta preferida pelos empreendedores que se inseriram no mundo virtual, com 84% de adeptos. Cerca de 90% das empresas que exercem atividades como Artesanato, Beleza e Moda, e que digitalizaram sua comercialização, usam esse recurso para vender seus produtos e serviços. Instagram e Facebook são as próximas opções, com 54% e 51%, respectivamente e apenas 23% dos negócios vendem por sites próprios.

O Sebrae estima que vender pela internet foi um dos caminhos encontrados por cerca de 70% dos donos de pequenos negócios para driblar a crise, que obrigou que diversos estados determinassem medidas restritivas para conter a proliferação da Covid-19.

Fonte: Convergência digital