77% acham certo exigir vacina para voltar ao trabalho presencial

Apoio ao passe sanitário se mantém em todos os grupos etários e regiões. Entre bolsonaristas, é de 70%

Presidente Jair Bolsonaro já demonstrou ser contra medidas que determinem a obrigatoriedade da vacinação contra a covid-19. Foto: Sérgio Lima/Poder360

Pesquisa PoderData realizada de 11 a 13 de outubro de 2021 mostra que 77% da população brasileira acham “certo” que as empresas exijam que seus funcionários se vacinem para retomar o trabalho presencial. Outros 20% avaliam a medida como errada, enquanto 3% não sabem responder.

A pesquisa foi realizada por meio de ligações para telefones celulares e fixos. Foram 2.500 entrevistas em 469 municípios nas 27 unidades da Federação de 11 a 13 de outubro de 2021.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Nos Estados Unidos, tanto o governo quanto as empresas privadas têm pressionado para que seus funcionários tomem as vacinas contra a covid-19. O presidente Joe Biden tornou obrigatória a vacinação de todos os trabalhadores federais em 9 de setembro. Na 2ª feira (4.out), a maior rede de saúde de Nova York, a Northwell Health, demitiu 1.400 empregados que se recusaram a tomar a vacina. Leia aqui uma lista de grandes companhias norte-americanas que já anunciaram a adoção da obrigatoriedade da vacina contra a covid-19.

No Brasil, o TST (Tribunal Superior do Trabalho) já se pronunciou a favor da vacinação para o retorno ao trabalho presencial. Segundo a presidente Maria Cristina Peduzzi, funcionários que se recusarem a tomar a vacina podem ser demitidos com justa causa, com base na ideia de que o bem-estar coletivo está acima do direito individual de escolher tomar ou não o imunizante.

Em julho, o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de São Paulo confirmou uma decisão em 1ª instância que reconheceu a demissão por justa causa de uma auxiliar de limpeza de um hospital infantil por recusar a vacina.

DESTAQUES DEMOGRÁFICOS

O PoderData estratificou as respostas dos entrevistados por sexo, idade, região e escolaridade. A exigência de vacinação é aprovada pela maior parte de todos os estratos. A taxa dos que são contra a medida sobe entre moradores do Norte (37%).

BOLSONARISTAS QUEREM VACINA

Uma fatia de 70% dos que avaliam Bolsonaro como “ótimo” ou “bom” acham que as empresas devem exigir vacinação para o retorno presencial. O presidente da República já afirmou ser contrário a medidas que obriguem a população a tomar os imunizantes.

Em setembro, chegou a falar que o passaporte sanitário é uma “maneira de discriminar e separar as pessoas”.  Ele defendeu que pessoas que não queiram se vacinar também tenham “liberdade”.

Sua equipe também é contrária a outras medidas obrigatórias de proteção contra a covid-19, como o uso de máscaras. O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirma que leis que obrigam a utilização da proteção facial são “absolutamente ineficazes”. Segundo ele, o que é necessário é a conscientização.

Fonte: PODER360